4 de jul de 2008

Até lá!!

Gente, é isso aí. Depois de um aninho aqui no blogspot, o bloguinho se mudou pra . Continua tudo igual, só muda o endereço.

Corre agora lá no www.clicrbs.com.br/infernoeinverno

Coisa pheeeeena que só!!!

Beijos,

3 de jul de 2008

Feliz aniversário!!!

Hoje este bloguinho tá fazendo um ano de vida, mas a festinha vai ser em outro lugar!!!

Aguardem as novidades!

1 de jul de 2008

Enquanto isso, em SP

Viagem de bate e volta a SP para resolver a questão do visto americano. Passagens aéreas, reserva em hotel, taxis e 4 horas de fila para uma entrevista de 15 segundos, que foi mais ou menos assim:

- O que vai fazer nos Estados Unidos? (com sotaque)
- Vou viajar de férias e ao casamento de uma amiga.
- Ok, vou conceder teu visto. Favor passar no Sedex.

* * *

Tá, não tenho do que reclamar. Mas pô, tinha organizado tudo tão direitinho...

* * *

E por falar em Sedex, ó isso aqui.

* * *

É impressão minha ou aeroportos concentram a maior quantidade de pessoas bizarras por metro quadrado??

* * *

Uma dica para os rapazes: nunca deixem o segundo botão da camisa aberto, aquele logo abaixo do botão da gola. Não é todo mundo que quer ver peitos cabeludos em situações corriqueiras e triviais.

* * *

Outra dica: não tentem embarcar com um conjunto de chaves de fenda.

* * *

Fim de carreira é levar cantada do operador de raio-x de Congonhas.

* * *

São Paulo sempre pode te surpreender. Pois ao chegar no hotel, percebi que tinha esquecido a escova de dente (eu sempre esqueço alguma coisa idiota quando eu viajo). E não é que todas as farmácias e drogarias das redondezas estavam fechadas no domingo à tarde? Tipo cidade do interior, sabe? Tive que caminhar uns 15 minutos até ao Carrefour para comprar a bendita. Vai entender...

27 de jun de 2008

Muitas coisas na cabeça

Até que a busca pelo lar-doce-lar, o planejamento da próxima viagem de férias e outras coisinhas e coisonas do dia-a-dia ainda não me tiram foco e concentração, exceto por um pequeno detalhe: eu tenho esquecido seguidamente de tomar meu synthroid pela manhã. Portanto, se em breve eu simplesmente não acordar, vocês saberão que é porque este corpinho (quase) bem cuidado aqui sucumbiu à falta de T4 e cia. Ah, não deixem minha mãe ou meu endocrinologista lerem este post.

* * *

Além de viciada em taxi, a pessoa aqui também é viciada em ar-condicionado quente. Enquanto está em casa, o bichinho está ligado a todo vapor. A CEEE agradece a preferência.

* * *

Ontem foi aniversário da irmã-afilhada mais querida do mundo, e eu só queria estar hoje no Rio aproveitar a festa junina cuidadosamente preparada pela mamãe e saborear quitutes deliciosos ao lado de pessoas muito amadas. Nestas horas é que a saudade bate mais forte que tudo.

23 de jun de 2008

Raí e o sonho da casa própria

Diálogo com minha querida amika Cris, que se casou há pouco tempo e também está em busca da casa própria.

Cris - Amika, não desanima não! Eu cheguei à conclusão que as pessoas que conheço que têm apê logo quando casam é porque são ricas! E como nós não somos, a vida é assim mesmo: toda vez que a gente abrir um armário, a geladeira, vai aparecer a cara do Raí lembrando a gente de pagar a parcela.

Eu - Ai, Amika, pobre que é pobre não tem nem direito de sonhar com o Raí pra outras coisas, né?

Cris - kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Blade Runner

Daí que a pessoa inspirada por este guarda-chuva aqui resolveu tirar a poeira do DVD e apertar o play para rever Blade Runner pela milésima vez (é que eu tinha o VHS, ok?). Como tenho memória curta, e na última vez que eu vi o filme eu ainda morava no Rio, não me lembrava de alguns detalhes preciosos (aliás, eu sou ótima para rever filmes, porque normalmente eu esqueço quase tudo, principalmente do final. E eu posso rever, rever e rever que ainda assim vou me espantar e dizer "ah, então era isso, ai lembrei". Será que eu tenho Alzheimer???)

Pra começar, eu tinha esquecido a data em que o filme se passa: 2019. Tomei um susto. Gente, 2019 é logo ali, daqui a 11 anos. Vamos piscar e será 2019. Claro que em 1982, ano do filme, 2019 era um futuro longínguo e sombrio. Seria como imaginar hoje como seria 2045. Eu consigo imaginar um 2019 perfeitamente, mas não um 2045.

Daí que é muito engraçado ver como as pessoas imaginam um futuro distante. Em 2019, moraríamos em colônias fora da terra, conviveríamos com replicantes, andaríamos em carrinhos flutuantes e choveria sem parar (se bem que isso pode ser verdade). E tem uma hora que o personagem do Harrison Ford faz uma ligação para a Sean Young numa espécie de telefone público com vídeo (nuooossa, que muderno! COM VÍDEO), algo que parece com aqueles porteiros-eletrônicos mais chiques de hoje. Isso que me faz concluir que mobilidade não existiria. Celular, nem pensar. I-phones então... E é muito engraçado ver os monitores como TVs bolha, e não LCD ou Plasma, como conhecemos hoje. Morri de rir.
Mas de modo geral, até que a estética do filme é pouco datada, exceto pelas ombreiras e sobrancelhas megaplus da Sean Young, e de uma calça semi-bag na cintura UÓÓÓÓÓ que o Rutger Hauer usa lá pro final do filme.

Enfim, foi bem divertido rever o filme depois de tanto tempo. E o guarda-chuva lá do início, certo que eu vou comprar, hehe.

22 de jun de 2008

Lar doce lar

Então a pessoa colocou o carro na frente dos bois, e em vez de procurar um apartamento no final de semana, resolveu passar na Tok&Stok para aproveitar a liquidação de até 60% de desconto. Comprou duas coisas que estavam pendentes desde quando saiu da casa da mãe, há muitos e muitos anos atrás: uma bela cadeira de rodinhas para o computador (é lindona mesmo, e estava muito barata) e um par de abajours para o quarto.

A decoração já está começando - e eu adooooro essa parte!!